A história da maionese e algumas dicas úteis
8 de setembro de 2018
Benefícios da manteiga que podem mudar sua opinião
10 de setembro de 2018
Exibir tudo

Histórias e lendas da origem do café

Os primeiros cafeeiros foram encontrados na região de Kaffa, na Etiópia. A semelhança do nome da região onde os cafeeiros foram descobertos, Kaffa, e o nome inglês da bebida, “coffee”, levou um bom número de etimologistas a concluir que os dois estão relacionados etimologicamente. Nem todos os especialistas em palavras, no entanto, concordam. Isso ocorre porque a planta, incluindo sua fruta, é chamada bunn ou bunna na área de Kaffa. “Kahve”, palavra turca, é frequentemente apresentada como uma etimologia alternativa do “coffee”. Dizem que passou para o italiano como “caffe” e depois para o inglês como “coffee”. Kahve, por sua vez, em última análise, vem do árabe qaha, que significa “não ter apetite”, já que se pensava que o café suprimisse o apetite.

Lendas abundam sobre a origem do café. Um deles alega que o cabrito do etíope Kaldi foi o primeiro a aprender sobre o café, enquanto outro menciona o místico sufi iemenita chamado Ghothul Akbar Nooruddin Abu al-Hasan al-Shadhili. Uma terceira história vem do Iêmen.

A história de Kaldi apareceu impressa em 1671. Diz-se que ele era um pastor de cabras do século 9 pertencente ao povo Oromo que observou que suas cabras se tornaram hiperativas, dançando e brincando, toda vez que comiam as “frutinhas vermelhas” da planta do “bunn”. Curioso, ele comeu as frutinhas também e achou que também ficou alerta e ativo.

Kaldi era um homem religioso. Querendo consultar os imãs muçulmanos sobre sua descoberta, ele reuniu mais “frutinhas vermelhas” e apresentou-as aos santos homens. O primeiro imã que ele conheceu, no entanto, convencido de que as bagas eram a armadilha do diabo, jogou-as no fogo, mas logo notou um aroma atraente enchendo o ar. Ele, junto com os outros imãs, apagou o fogo, reuniu as frutas torradas e as moeu. Misturando a água com as frutinhas torradas, criando assim a primeira xícara de café do mundo.

Uma segunda lenda conta que um místico Sufi iemenita que estava viajando na Etiópia. Observando alguns pássaros que estavam muito animados e vigorosos, ele resolveu os segui-los e descobriu que eles regularmente comiam umas “frutinhas vermelhas” da planta do bunn. Assim como Kaldi, ele experimentou a misteriosa fruta e sentiu o mesmo vigor e vitalidade.

Outra história, narrada no manuscrito de Abd-Al-Kadir, coloca a origem do café no Iêmen com Omar, dado o privilégio de sua descoberta. Omar era um seguidor do xeque Abou’l Hassan Schadheli de Mocha que foi exilado em uma caverna no deserto de Ousab. Procurando por comida, ele encontrou as frutas vermelhas do cafeeiro, mas logo descobriu que elas eram muito amargas. Ele assou as frutas, mas isso só as endureceu. Para amaciar as sementes, ele as fervia e, por causa do cheiro agradável da água agora marrom, ele bebeu e se tornou o primeiro homem a provar o café.

As lendas são muito fascinantes. Kaldi, Ghothul Akbar Noorudin al-Hassan al Shadhili e Omar podem ou não ser pessoas reais, mas as histórias refletem o que geralmente é aceito pelos eruditos e historiadores – que o café veio da Etiópia e que os místicos sufis do Iêmen beberam a bebida.

Estudiosos e historiadores concordam que, no século XIII, o café era amplamente usado na Arábia. Alguns historiadores até acreditam que isso tenha começado no início do século X. Também foi estabelecido que no século XV, os iemenitas não importavam apenas grãos de café da Etiópia, mas também a planta.

Mantendo-os acordados durante as orações noturnas, os místicos sufis acharam o café muito útil. O café começou a ser pensado como uma bebida religiosa por causa de sua ligação com os místicos sufis em oração e dança dos Dervishes. O hábito de beber café foi espalhado por todo o mundo muçulmano – do Iêmen, se espalhou para Meca, Medina, Cairo, Bagdá, Damasco e Istambul. Estrategicamente localizada entre a Etiópia e as principais cidades do Oriente Médio, a Mocha surgiu como um importante centro comercial para o café dos séculos XV a XVII. Até deu seu nome a uma bebida de café e chocolate agora popular.

Beber café não se limitou ao mundo religioso. Para ajudar a promover o comércio, os iemenitas incentivaram o consumo de café. Isso resultou no surgimento de cafés chamados kahve kanes em todo o mundo árabe. Beber café, no entanto, não era a única atividade no kahve kanes. Eles também eram centros de entretenimento e socialização onde havia música, canto e dança, bem como cafés e bares de hoje. Como as pessoas falavam sobre qualquer coisa nas cafeterias, talvez fosse inevitável que seus tópicos logo incluíssem a política. Foi por essa razão que os kahve kanes acabaram sendo banidos.

Vários imãs muçulmanos ortodoxos em Meca também desempenharam um papel na repressão do consumo de café. Em 1151, eles declararam que a bebida é o produto do diabo. O sultão otomano turco Selim I ordenou que o Grande Mufti Mehmet Ebussuud el-Imadi, emitisse uma fatwa que suspendesse a proibição dos Imames em 1524. A Igreja Ortodoxa Etíope também proibiu o consumo de café, mas isso foi revogado em meados do ano 1800.

No século XVII, comerciantes de Veneza negociavam com os do norte da África e do Oriente Médio. Foi através deles que o café foi introduzido, primeiro na Itália, depois na Europa e , por fim , no mundo.

Algumas dicas sobre o  café:

1. Você pode utilizar o pó de café usado para lavar galheteiros e vidros de azeite. É muito bom também para lavar e clarear pias brancas e o chão da cozinha. Depois dá faxina, esfregue um pouco do pó de café usado em suas mãos. Elas ficarão claras e macias.

2. O pó de café ficará como se fosse moído na hora se você o guardar num recipiente fechado dentro da geladeira.

3. Depois de fazer café, use o pó que ficou no coador para desentupir a pia. Ou, também, coloque no armário, para espantar formigas.

4. Para dar um sabor diferente ao café, misture no pó uma colherinha de chá de chocolate, antes de pôr a água.

Wilian Sales
Wilian Sales
Especialista em desenvolvimento de sites, lojas virtuais e sistemas. Faço parte da equipe que compõe a empresa Sales Publicidade. Atuamos em diversas áreas destinada ao Marketing. Faço publicações de artigos em blogs e nas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enter Captcha Here : *

Reload Image

%d blogueiros gostam disto: